Nos dias 23 a 25 de Fevereiro, decorreu no Convento da Portela, Leiria, um Convívio Vocacional, sob o tema «Quem és Tu, ó meu Deus, e quem sou eu?».

Esta questão, que sintetiza os anseios íntimos de São Francisco, tal como nos relata o pequeno opúsculo das Considerações sobre as Chagas (cf. Ch 3), deu o mote ao tema da Identidade, tão fundamental no discernimento vocacional.

Deus não ilude e, por isso, não desilude. Mas Deus também não aliena, porque não chama para abstrair da realidade envolvente, e muito menos da realidade pessoal. Em contrapartida, quando fugimos de nós próprios, aí sim, podemos projectar um Deus alienador, que encobre a nossa realidade, a verdade do que somos.

Jesus, que se sabia Filho de Deus, ao transfigurar-se diante dos discípulos e ao ser revelado como Filho muito amado (cf. Mc 9, 2-10), mostra-nos como o conhecimento de si é fundamental para assumir a missão até ao fim.

Assim, reconhecer a nossa identidade, mediante o conhecimento do nosso passado e da afirmação dos nossos sonhos, é o ponto de partida para entrar no mistério da história concreta que Deus intercepta, amando e chamando.

Por motivos de ordem vária, apenas participaram dois jovens, facto que possibilitou um ambiente de maior recolhimento. Em tempo de Quaresma, o encontro constituiu uma oportunidade para os jovens entrarem no deserto do seu coração e aí perscrutarem a vontade de Deus.

Acompanhemo-los com a nossa oração, para que o Senhor os ilumine no seu discernimento.

 

 

FraJuVoc