O Dom do Presente

Dia 13

Motivação

«Tudo está interligado. Se o ser humano se declara autónomo da realidade e se constitui dominador absoluto, desmorona-se a própria base da sua existência, porque ‘em vez de realizar o seu papel de colaborador de Deus na obra da criação, o homem substitui-se a Deus, e deste modo acaba por provocar a revolta da natureza’» (LS 117).

 

Da Epístola de São Paulo aos Romanos (Rm 8,18-23)

Estou convencido de que os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória que há-de revelar-se em nós. Pois até a criação se encontra em expectativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus. De facto, a criação foi sujeita à destruição – não voluntariamente, mas por disposição daquele que a sujeitou – na esperança de que também ela será libertada da escravidão da corrupção, para alcançar a liberdade na glória dos filhos de Deus. Bem sabemos como toda a criação geme e sofre as dores de parto até ao presente. Não só ela. Também nós, que possuímos as primícias do Espírito, nós próprios gememos no nosso íntimo, aguardando a adoção filial, a libertação do nosso corpo.

 

Exortação ao Louvor de Deus de São Francisco

Temei o Senhor e dai-lhe glória.
Digno é o Senhor de receber o louvor e honra.
Louvai o Senhor todos os que o temeis.
Salve Maria, cheia de graça, o Senhor está contigo.
Louvai-O, céus e terra. Todos os rios, louvai o Filhos de Deus, bendizei o Senhor.
Este é o dia que o Senhor fez; alegremo-nos e regozijemo-nos nele. Aleluia! Aleluia! Aleluia! Rei de Israel!
Todo o espírito louve o Senhor.
Louvai o Senhor, porque é bom; todos os que isto ledes, bendizei o Senhor.
Todas as criaturas, bendizei o Senhor.
Todas as aves do céu, louvai o Senhor.
Todos os meninos, louvai o Senhor.
Jovens e donzelas, louvai o Senhor.
Digno é o Cordeiro que foi imolado de receber o louvor, a glória e a honra. Bendita seja a santa Trindade e a indivisa Unidade.

  1. Miguel Arcanjo, defende-nos na batalha.

Prece

Tu nos chamas a viver em plenitude a alegria da nossa total entrega ao Pai. Aumenta em nós, Senhor, o verdadeiro sentido da especificidade da nossa vida fraterna, despertando para um urgente espírito de crescimento na mútua edificação e renovação de laços que no nosso dia a dia sejam capazes de renovar a sociedade humana.